quarta-feira, 9 de julho de 2008

Por que esqueço que sou poeta? [Por ocasião da tristeza e filmes na tv]

Estribilho (ou mote):
Por que esqueço que sou poeta?

Astros de Hollywood tem olhos azuis;
Às vezes, de outras paragens também,
Como Franco Nero e Isabella Rosselini.
(Bem. Vejo uma atriz que parece
A I.R. mas não é ela, nem sei se tem olhos azuis).

Estribilho (ou mote):
Por que esqueço que sou poeta?

A Joana e a Talita poderiam
lamber meu corpo nu cheio de
sorvete napolitano e terminariam
disputando meu pênis pré-duro.
No outro dia, a Bárbara,
Anete e Andrea lamberiam meu
Tórax, disputando meus mamilos.
(É que estaríamos na garagem da casa da Andrea).

Estribilho (ou mote):
Por que esqueço que sou poeta?

Vou montar uma grife para lançar
Cuecas de couro e de seda e de lã
E outros tecidos inusuais.
Mas, no momento, tenho dentes podres.

Estribilho (ou mote):
Por que esqueço que sou poeta?

Está passando Taxi Driver. Adoro.
Estou cada vez mais diretor de cinema
Sem despoetizar-me.
Claro que não sou o Loucura Póstuma original,
Mas eu seria?

Estribilho (ou mote):
Por que esqueço que sou poeta?

Este Taxi Driver é um dos filmes do século
E definitivamente tenho frio.
E só me empolgo em escrever quando
Sei que mostrarei para os outros.
E quero que meus pais, além de todo mundo,
Vão para puta que pariu.

Estribilho (ou mote):
Por que esqueço que sou poeta?

Por que tenho pais tão xaropes?
Como eu e meus irmãos conseguimos não ser imbecis
Apesar de nossos pais?
Esqueci o nome daquela minazinha da Rua 30 que gosto.

Estribilho (ou mote):
Por que esqueço que sou poeta?

Poucas vezes em minha vida
Vi seios tão bonitos quanto os
De I.R. cover.
E do jeito que gosto: bicos róseos.
Que belo filme este do SBT vermelho,
Qual será?
Ela está se transformando num
Demônio mas o cara nem liga.

Estribilho (ou mote):
Por que esqueço que sou poeta?

Mais mulher pelada, agora na Bandeirantes.

Estribilho (ou mote):
Por que esqueço que sou poeta?

Escrever poesia é como tomar
Uma droga estimulante bem forte.
Caralho, esqueci o nome da gatinha da Rua 30.
Ela já veio em casa e sorriu para mim.
Foda é que meus dentes estão podres e
Não tenho calça.

Estribilho (ou mote):
Por que esqueço que sou poeta?

Eu queria agora chupar bem chupado uma boceta.
Qualquer uma.

"... blank faces of the houses
and cylindrical trees"
(William Carlos Williams)

2 comentários:

Biatraz Batida disse...

Concorrência, é, seu sarado!?...

Controleira disse...

Que coisa ridícula!
Dedica-te à bocetofilia que não tens jeitinho nenhum para a escrita