terça-feira, 15 de julho de 2008

Meu querido lar


Meu querido lar é feio.
Meu querido lar é sujo.
Meu querido lar é a morte.
A morte é a esquizofrenia.
A esquizofrenia não precisa de nome.
Preciso encontrar meu eixo.
Preciso me livrar das drogas babacas.
Com orientação médica.
Ou médica legista.
Meu amigo é babaca.
Meu amigo é poeta.
Eu sou poeta e babaca,
Eu tenho enormes cabelos horríveis.
Ela é loira e tem um sorriso lindo
E namora com um cadete da aeronáutica.
Não sei se ouço "The Doors".
Não quero assistir "As Faces da Morte".
Não quero assistir "Aqui Agora".
Não quero ver televisão.
Não quero ser louco.
Quero transar com uma menina.
Ela tem mãos bonitas.
Quero vê-las, em meu pênis.
Ela tem uma vulva enorme.
Sua vulva tem muitos pelos.
Ela não vem para o Brasil.
Queria vê-la inteiramente nua.
Já vi seus seios.
Ela tem uma boca enorme.
Ela vai chupar meu pau.
Eu tomo comprimido para a psicose.
Eu faço psicoterapia.
Minha psicóloga disse que não sou louco.
Eu gosto de viver drogado.
Eu tenho dor de cérebro.
Meu cérebro quer explodir meu crânio.
Eu quero amar e ser amado.
Ela é tão infantil.
Ela é tão gostosa.
Ela tem cabelos lindos.
Fiz poemas para ela.
Vou bater punheta, pensando nela.
Eu sou galinha.
Eu quero amar e ser amado.
A poesia vai me curar, outra vez.
A poesia é vômito.
Que não tenha fim e eu me sinta bem.
Minha cara já é outra.
Me acho mais lindo ainda.
Tenho olhos azuis lindos.
Sou inteligente, até brilhante.
Eu gosto de estar feliz.
Eu queria que você passasse as férias no Brasil.
Eu queria ver e sentir seu corpo.
Eu queria que você não fosse tão infantil.
Tem muito espaço para zilhões de poemas.

3 comentários:

Controleira disse...

Que atrasado mental!
Que embaraçante!

Mugabe disse...

Amigo, já percebeu que não é só no Brasil que há lixeiras: também as temos cá.
Faça como nós, tenha piedade, porque é alguém que sofre

Å®t Øf £övë disse...

Isto sim é que é poesia cheia de desejos...