terça-feira, 1 de julho de 2008

Graças a Deus!



Milagre!

Um simples processo disciplinar curou da noite para o dia a Dona Ana Maria Brandão que já foi mostrada nos telejornais a sair quase entrevadinha de um carro para ir trabalhar na Junta de Vitorino de Piães lá para o Minho.
Ouçamos as sábias palavras:

"Foi uma graça do Cristo crucificado. Ela bem merecia, depois de quatro anos a sofrer, acamada e sem poder fazer nada", atestou Maria das Dores Lima, uma conterrânea de Ana Maria, contando que o suposto milagre terá ocorrido no feriado do Corpo de Deus.

A Dona Brandão com a ajuda da família lá se arrastou até ao hospital, oops! perdão, até ao Santuário do Bom Jesus e como ela mal podia falar foi o afilhado que “começou a chorar e a pedir ao Senhor para ajudar a madrinha, que estava em sofrimento”.

E então ó crentes, a Dona Brandão sentiu “um grande calor por ela abaixo” e curou-se!
Atrevo-me a dizer, que na realidade há aqui dois milagres.
Um provocado pelo tal papel.
O outro é de tal maneira magnífico que se a Dona Ana Maria Brandão conseguir ensinar a outras senhoras como o obter, todos nos vamos regozijar.

Palavra do Senhor Correio da Manhã, onde pode ler este facto miraculoso e muitos outros.

4 comentários:

Paulo Pedroso disse...

Bem, eu já perdi a fé nestes milagres há muito tempo.

Mas confesso que julgava que o Fado era um pouco mais crente do que aqui revela.

:-))

Fado Alexandrino disse...

Sou crente, mas graças a Deus não sou estúpido.
Esta gentinha não me merece (nem a Deus) qualquer compaixão.

Paulo Pedroso disse...

Sei bem que de estúpido não tem nada, meu caro.

Apesar das nossas discordâncias, aqui e ali, tenho-o por bem inteligente.

Já agora, eu estou como o Stendhal e digo que "A única desculpa de Deus é ele não existir", pelo que estou inteiramente de acordo consigo, quando diz que a culpa é toda desta gentinha.

:-))

Anarca disse...

O obscurantismo e o oportunismo não ataca só os crentes...