quinta-feira, 12 de junho de 2008

Do Cepticismo Antigo ao KAOS absoluto

Neste blogue praticam-se a Liberdade e o Direito de Expressão próprios das Sociedades Avançadas
Hoje, era para nem escrever nada, tal a porcaria que reina. Aviso já que não há "links". Vai à Wittgenstein, como adoraria o vendedor de peixe podre, Pedro Paixão.
Proposição 1) Um povo civilizado distingue-se pelo nível de pedras que lança aos camionistas que lutam pelo interesse de todos.
Proposição 1a) Como apedrejamos camionistas, somos civilizados
Proposição 1a.1) Somos mais civilizados do que os outros, porque já apedrejávamos, antes de haver camiões.
Proposição 2) Somos a Cauda da Europa, excepto nos pés de alguns, que representam os pés da Cauda da Europa.
Proposição 2a) A Cauda da Europa está reduzida aos pés.
Corolário 1) A fixação nos pés é uma parafilia, e chama-se "Podofilia".
Corolário 2) A Podofilia não é a mesma coisa que a Pedofilia, senão estávamos a ser pagos pelo Estado, na Roménia, em Paris, e outros lugares do Terceiro Mundo.
Proposição 3) O último grande Presidente Europeu foi o Imperador Adriano, que viveu no séc. II, depois de Maria pôr os cornos a um Artesão do Comércio Tradicional.
Proposição 3a) Esse tal de Adriano percebeu que a coisa ia dar para o torto, em breve, e estabeleceu as fronteiras da União Europeia de então, sem antes ter andado enrolado com uma rapazito da Casa Pia da Bitínia, e ter deixado a herança imperial a um sucessor que só escrevia "Pensamentos" (Teve sorte de não ser contemporâneo do Francisco não sei das quantas Viegas, senão, quem recebia o Nòbèle era o Viegas e não Marco Aurélio...)
Proposição 4) Já no tempo de Adriano ninguém acreditava no Menino Jesus, na Fátima Felgueiras, nem na inocência do Paulo Pedroso.
Proposição 4a) A população desse tempo vivia imersa num regime de 65 horas de trabalho semanal, com direito a reforma quando morresse, e campa rasa de escravo da Servilusa (caríssima e com processos em tudo o que é sítio).
Proposição 4b) Como ninguém vivia satisfeito numa coisa destas, iam a Elêusis comprar a salvação da Alma, mas a coisa era fraquita, porque a "rèssurêição" não era individual, mas genérica -- uma chatice, para os vaidosos de Vilar de Maçada.
Proposição 5) Com o aumento dos combustíveis e o advento da Corja do Charlatão, apareceu uma seita que prometia a vida eterna aos escravos.
Corolário 1) Com a oferta da Vida Eterna aos Escravos, o produto esgotou rapidamente nas prateleiras dos hipermercados e o Império Romano acabou, entre escravos e "charlatões" da vida eterna (Muitos deles do Bloco Central e do Bloco de Esquerda).
Proposição 6) Esta porcaria levou a que as pessoas que, como eu, acreditavam na Dúvida, como sistema ontológico, deixassem de se refugiar na Ataraxia e aderissem à Dúvida Sistemática, de Descartes, que levou ao Desenvolvimento da Ciência Moderna, que permite que, ainda hoje, se invistam biliões na cura de Alzheimer, para que os Judeus possam especular, sem trocar os números, até ao último momento, mas que acha que a Cura da Sida é secundária, ou, por outras palavras, prolongar a vida dos que nos fodem cada vez mais, mas, ao mesmo tempo, levando-nos a foder cada vez menos.
Proposição 6) Esgotado o Cristianismo, nos Anti-Cristos, nas Sofias Bochmanns, na Opus Dei e em merdas afins, e com as 65 horas de trabalho em vigor, tentou-se uma solução nova, que era prometer a salvação terrena, aqui, já e agora.
Corolário 1) Como essa merda da Vida Eterna já não vendia, criou-se a expectativa da Salvação através da Nike, da Ferrari, da Sony, das férias em Cancun e outras merdas afins (contra mim falo...)
Corolário 2) Como não convinha fazer correr que só os direitos de autor da merda da Agustina, do Saramago, da Rebelo Pinto e do Sousa Tavares davam para isso, estendeu-se a Salvação aos heróis dos pés (que substituíram os Heróis do Mar), aos vencedores do Euromilhões, e das pequenas lotarias de fim-de-semana e dos concursos de rodapé das televisões.
Corolário 3) O Paradigma Salvífico passou a entrar-nos em casa via "Meo" e outras "Meo rdas " assim e assado.
Corolário 3.a.) O Homem Rede, da Ciberbética, pós-séc.XX, "Matrix", regrediu ao "Homem-Máquina", do Modernismo, e cada qual se sente realizado, ao cumprir, ao pormenor, as funções mecânicas, para que foi destinado, com a possibilidade de ser DELATOR daquele, que, ao seu lado, não as cumpre.
Corolário 4) De acordo com o Novo Cristiano-"Capitalismo", imposto pelas falinhas mansas de Bilderberg, qualquer um de nós poderá ser "salvo" em vida, se assim tiver sorte e souber esperar. Se esperar toda a vida e nunca lhe calhar nada... morre, mas pelo menos, não provocou mossas no Sistema.
Corolário 5) Estas regras entrarão imediatamente em vigor, sem referendo, e sem serem expostas aos principais interessados. Aliás, o advento da Idade Média nunca foi parangona dos telejornais da época, e durou 1000 anos, um pequeno ensaio, para a duração da nova...

6 comentários:

gotika disse...

Grande texto! Está tudo dito!

gotika disse...

Só um comentário à actualidade: eu até cheguei a pensar que arrebentava mas se calhar ainda não é desta. É pena.

Hélio disse...

Com posts destes, que mais poderia eu dizer?

Só para dar uma palavrinha à Gotika: não rebenta e não vai rebentar por este sistema reivindicativo porque tanto as associações como os sindicatos funcionan cada vez mais, não como defensores dos direitos de um grupo de pessoas, mas como "valvula de escape" das tensões que se acumulam: o sistema é simples - marca-se uma forma de protesto e, no momento em que se poderia dar o golpe de misericórdia, passa-se a mão pelas costas e fica tudo bem. As pessoas já puderam, assim, dar largas á insatisfação e continua tudo na mesma de acordo com o bem conhecido princípio da "evolução na continuidade". Eu tinha uma outra analogia para isto mas achei melhor não dizer nada...

Paulo Pedroso disse...

Que horror! Ingénua, sim, mas inocente, não!

Inocente, inocente, não posso dizer que seja.

Já cometi (cof cof cof) algumas violações à lei.

Por exemplo, já conduzi em excesso de velocidade... mas só em Portugal! Agora, com a crise de combustíveis, tenho cometido (cof cof cof) cada vez menos.

:-))

alucino disse...

Ladies and gents, you are here assembled
To hear why earth and heaven trembled

alucino disse...

Ah... a crise dos combustíveis!!! Sim, deve ser a única razão para a redução dos acidentes nas estradas cá na terra como nos céus!:-))